Editorial #1 Notícias Recuperar Portugal

Editorial #1 Notícias Recuperar Portugal

A primeira newsletter da Estrutura de Missão Recuperar Portugal marca o início de uma etapa de informação de proximidade e de serviço público, que ao longo do tempo e com os vossos contributos vamos seguramente aperfeiçoar.

Este marco ganha ainda maior relevância numa semana em que se obteve a Decisão de Execução do Conselho, relativa à aprovação da avaliação do PRR de Portugal.

Na sequência de uma avaliação positiva da Comissão, a presente decisão veio confirmar as reformas e os investimentos, que se reforçam mutuamente numa orientação estratégica favorável à recuperação, promovendo a resiliência, económica, social e territorial, e o crescimento sustentável e inclusivo.

A partir de agora inicia-se a contagem decrescente para que possamos receber o pré-financiamento previsto de 13%, no valor de 2,1 mil milhões de euros. A locomotiva da recuperação económica e social está em andamento. Aliás, já tinha começado. Já estão a ser implementados os investimentos, após efetuadas as respetivas contratualizações entre a Estrutura de Missão Recuperar Portugal e os organismos públicos responsáveis pela execução.

Nesta senda foram lançados avisos e concursos para seleção dos destinatários finais em áreas relevantes, como a inovação empresarial, digitalização nas escolas, eficiência energética, ensino superior e áreas de localização empresarial, dos quais também vos damos nota nesta edição.

Destacamos também a possibilidade de inscrição de alertas sobre o lançamento de novos avisos e concursos e as novas facilidades de utilização no site do PRR https://recuperarportugal.gov.pt

Passamos também a disponibilizar neste site os primeiros dados consolidados de execução.

O PRR assenta em três agendas estratégicas: Resiliência, Transição Climática e Transição Digital. Não são compartimentos estanques, antes uma orientação presente nas metas a atingir por todos os projetos, com o objetivo último de criar condições para um país resiliente, competitivo e preparado para os desafios futuros.

Os financiamentos do PRR têm essa ambição e por isso a sua arquitetura foi pensada para valorizar investimentos com um efeito transformativo da economia, investimentos estruturantes que promovem a inovação e a coesão social e territorial. Contamos com a iniciativa das empresas, o envolvimento dos cidadãos e o empenhamento das entidades públicas responsáveis pela execução dos investimentos, neste percurso para Recuperar Portugal para o qual todos estamos convocados.

Fernando Alfaiate

Presidente

Estrutura de Missão Recuperar Portugal